acompanhe nossas noticias

Vinhos do Super recebe enólogo chileno Claudio Goncalves Rey

Degustação e harmonização

Aprenda como escolher um bom vinho, degustar e combinar com a comida

Confira as dicas do enólogo chileno Claudio Goncalves Rey, que estará em Chapecó nesta sexta-feira (14), no Superalfa com sugestões e dicas.

 

Vinhos de qualidade e com preços acessíveis. Essa é uma combinação possível e que dá certo. Para provar, conversamos com quem entende do assunto: o enólogo chileno Claudio Goncalves Rey, da vinícola Terraustral (que estará nesta sexta-feira (14), no Superalfa participando do evento Vinhos do Super). Claudio Goncalves Rey nasceu e foi criado no Chile, e antes de entrar para a equipe da Terraustral em 2018, era o principal chefe de enólogos de uma das grandes vinícolas importantes do país.

Ele explica que o vinho é uma opção que combina com aperitivos, almoço, jantar e pode e deve ser tomado também depois de comer. “Os vinhos chilenos são de qualidade e a preços acessíveis, fáceis de tomar, frutados e amigáveis”, orienta Rey.

Para quem gosta e não abre mão tomar pelo menos uma taça todos os dias, a dica do enólogo é 200 ml, sempre acompanhado de algo petisco – queijo ou copas. Rey recomenda vinhos tintos e brancos, porém o tinto cumpre uma função antioxidante melhor que branco. “Não existem regras para que tipo ideal para cada dia, mas no geral para dias quentes os indicados são: Sauvignon Blanc, Chardonnay e Rosé (12°C) e Pinot Noir (15°C), e para os dias frios: Carménère, Merlot, Cabernet Sauvignon”, destaca Rey.

Os tipos de vinhos que o enólogo sugere estão à venda no Superalfa e seguem a proposta da vinícola, de elaborar vinhos finos, frutados e com o papel de unir as pessoas para uma boa conversa, jantar ou apenas um encontro.

Como comprar vinhos  

Para quem quer começar a beber ou quer montar uma pequena adega em casa, para degustar com amigos ou mesmo sozinho, o enólogo Claudio Goncalves Rey orienta a compra diferentes tipos como, por exemplo, os reservados-reservas, gran reservas, mas o ideal é variar. “A partir daí compara-se cada um e descobre-se qual o tipo que mais agrada o paladar.”

“Ao fazer isso, estamos nos educando para entender o nosso gosto. Quando fizemos alguma degustação , temos de ter boa memória e concentração. Então educação, memória e concentração, assim podemos aprender de vinhos. A isso  adicionamos a compra de diferentes variedades e conseguimos ter uma melhor decisão de compra. É preciso ser infiel para comprar vinhos, não comprar sempre o mesmo”, reforça Rey.

 

Carolina Dias (Diário do Iguaçu)

 

Combinar vinho e comida

Combinar o vinho com o tipo de comida que você prepara, pode ser mais fácil do que se pensa.

Rey indica o vinho ideal para alguns pratos típicos da nossa região e também comuns no dia a dia:

– Galinhada: Chardonnay, Pinot Noir, Merlot, Carménère (Reservados e Reservas).

– Polenta com molho vermelho – Carménère, Merlot (Reservado e Reservas).

– Polenta na chapa e salame frito – Cabernet Sauvignon e Carménère (Reservas).

– Feijoada – Chardonnay, Carménère, Merlot (Reservado)

– Carne de porco assada – Cabernet Sauvignon (Reserva e Gran Reserva)

– Macarronada com diversos tipos de molho – Carménère, Merlot (Reservado e Reserva)

– Mondongo – Chardonnay, Carménère, Merlot (Reservado e Reserva).

– Repolho refogado – Cabernet Sauvignon e Carménère)

– Sopa de agholine – carne de gado, frango ou queijo – Pinot Noir, Chardonnay, Carménère e Merlot.

 

 

NEWSLETTER

Receba atualizações,
artigos e ofertas imperdíveis


Respeitamos sua privacidade, nunca será enviado spam!